Grande ABC
Jornal da Região

O Mercado de Peixes Ornamentais da Craisa (Avenida dos Estados, nº 2195, Bairro Santa Terezinha) quadriplicou a quantidade de frequentadores desde que abriu as portas, em dezembro de 2009, quando recebia cerca de 550 pessoas por mês. Hoje, entretanto, são dois mil visitantes mensalmente. Mas este crescimento tem explicação, além de ser único do segmento no Grande ABC – terceiro do Estado de São Paulo –, o mercado oferece produtos com custo até 50% menor do que a concorrência, um atrativo que tornou o espaço o principal fornecedor dos piscicultores (profissionais que trabalham na criação de peixes), além de uma ótima opção para quem gosta de animais exóticos.
Para o dono de petshop, Edson Aparecido Delvechio, 54 anos, adquirir itens no mercado é garantia de lucro. “Comprando aqui e revendendo na minha loja, consigo obter, no mínimo, 50% a mais”, contou, ao revelar que visita semanalmente o espaço e tem por hábito comprar aquários e peixes – a um custo médio de R$ 30 por 10 unidades variadas.
O percentual revelado por Delvechio também pode ser comprovado no segmento de aves. Isso porque, enquanto um exemplar de calopsita custa R$ 90 em um estabelecimento convencional, no mercado está disponível a R$ 45. Outras vantagens do espaço são quanto aos preços do periquito (R$ 10), mandarim (R$ 10), manão (R$ 4) e diamante gould (R$ 35). Se as mesmas espécies fossem adquiridas em um petshop, os valores seriam de R$ 19,90 para os dois primeiros, R$ 10, para o manão e R$ 69,90 para a última espécie.
Atualmente, o local dispõe de 32 expositores distribuídos em uma área de 900m², nos quais são comercializados diversos tipos de peixes de água doce e salgada, roedores, cães, aves, acessórios, plantas para aquário, rações de diversos tipos, entre outros itens. Além desta variedade, o local, que funciona às quartas-feiras, das 14h às 18h, ainda tem estacionamento com 850 vagas.

Os pais que têm seus filhos com idade inferior a 5 anos devem levar as crianças para que sejam imunizadas contra a Poliomielite, como parte da 1ª etapa da 34ª Campanha Nacional de Vacinação contra a doença, ação da qual São Caetano do Sul participará. A popular gotinha, defesa contra a doença, será aplicada nos pequenos sancaetanenses neste sábado (8/6), das 8 às 17 horas, em vários pontos da cidade – lista completa dos locais abaixo.
O médico Luciano Xavier, diretor da Atenção Básica de Saúde sancaetanense, informa que, no município, a meta é aplicar 6.786 doses. “É fundamental que as pessoas levem as crianças para serem imunizadas, porque essa doença pode deixar sequelas muito graves e causar até a morte”, alerta o profissional.
Poliomielite - Doença infectocontagiosa viral aguda, a Poliomielite ou Paralisia Infantil é caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito – o déficit motor instala-se subitamente. A enfermidade acomete membros inferiores, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido. A Poliomielite está erradicada no Brasil desde o início dos anos 90.

Locais de Vacinação
Unidade Básica de Saúde Amélia Richard Locatelli (Alameda João Galego, 01, Bairro Santa Maria);
Unidade Básica de Saúde Angelo Antenor Zambom (Rua João Molinari, 160, Bairro Boa Vista);
Unidade Básica de Saúde Caterina Dall’Anese (Rua Prates, 430, Bairro Olímpico);
Unidade Básica de Saúde Darcy Sarmanho Vargas (Rua General Estilac Leal, 58, Bairro Mauá);
Unidade Básica de Saúde Dolores Massei (Rua Senador Fláquer, 134, Bairro São José);
Unidade Básica de Saúde Maria Corbeta Segato (Avenida Prosperidade, 671, Bairro Prosperidade);
Unidade Básica de Saúde Moacir Gallina (Rua Casemiro de Abreu, 560, Bairro Cerâmica);
Unidade Básica de Saúde Nair Spina Benedicts (Rua Oswaldo Cruz, 1.153, Bairro Oswaldo Cruz);
Unidade Básica de Saúde Ivanhoé Espósito (Rua Flórida, 295, Bairro Barcelona);
Centro Policlínico Gentil Rstom (Avenida Tietê, 301, Bairro Nova Gerty);
Centro de Saúde Doutor Manoel Augusto Pirajá da Silva (Rua Senador Roberto Simonsen, 282, Bairro Centro);
Centro de Especialidades Médicas (Rua Heloisa Pamplona, 269, Bairro Fundação);
Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente Amabili Moretto Furlan (Rua Goitacazes, 301, Centro).

 

Uma reunião extraordinária no Consórcio Intermunicipal Grande ABC definiu a redução de tarifas em cinco dos sete municípios da região, que passarão de R$ 3,30 para R$ 3,20 a partir do dia 15 de junho. A tarifa vai baixar nos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Mauá e Ribeirão Pires. As cidades de Diadema, que já praticava o valor de R$ 3,20, e Rio Grande da Serra, onde a tarifa é de R$ 3,00, irão manter os preços atuais. A decisão dos prefeitos é reflexo da Medida Provisória 617/13, publicada no Diário Oficial da União em 31 de maio, que reduziu a zero as alíquotas de PIS/COFINS para as empresas de transporte coletivo.
“A decisão foi comunicada aos empresários e é evidente que não há espaço para discussão. Trata-se de uma resposta ao esforço do governo brasileiro pela redução das tarifas, colaborando com este momento da economia brasileira. Esse benefício de isenção de imposto assinado pela Presidenta Dilma (Rousseff) tem que atingir o consumidor”, anunciou o presidente do Consórcio e prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.
Decretos dos prefeitos oficializando a decisão serão publicados em cada município nos próximos dias e as empresas de transporte deverão cumprir a determinação a partir do dia 15, tirando do preço o imposto que foi zerado. Os prefeitos iniciaram, também, a discussão sobre a possibilidade de o reajuste passar a ser conjunto em todos os municípios, a partir de 2015. “Cada prefeito vai analisar a situação, mas provavelmente deixaria de haver reajuste de tarifa em Diadema no ano que vem, voltando a acontecer conjuntamente com as demais cidades em janeiro de 2015”, adiantou Marinho.

A Prefeitura de São Caetano do Sul abriu inscrições para 300 vagas que estão disponíveis na Frente Municipal de Trabalho. Para se inscrever, os interessados devem se dirigir à sede da Secretaria Municipal de Assistência e Inclusão Social, que fica na Rua Antonio Bento, 180, Bairro Santa Paula, das 8 às 16h30, até o dia 11 de junho. Os participantes receberão bolsa-auxílio, que é equivalente a dois terços do salário mínimo nacional vigente, e uma Cesta de Alimentos, desde que a família ou o domicílio do participante ainda não receba tal benefício.

A tarifa do sistema de estacionamento rotativo pago de São Caetano do Sul, popularmente conhecido como Zona Azul, será reduzida a partir deste sábado (1/6). A data foi estipulada no decreto 10.661, assinado pelo prefeito Paulo Pinheiro no dia 10 de maio. O documento diminui de R$ 2,00 para R$ 1,50 o valor do talão válido por 1 hora, e de R$ 4,00 para R$ 3,00 a quantia paga por duas horas de estacionamento nas vias públicas – são 2.896 vagas demarcadas em regiões comerciais ou mistas.
O espaço de tempo entre a assinatura e a vigência do decreto foi necessário para que a Cello Auto, empresa que opera o sistema, se adaptasse às novas regras. O período máximo de estacionamento permanecerá inalterado em 2 horas, assim como os horários em que é obrigatório o pagamento da tarifa: de segunda à sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas.
Em março, a Zona Azul teve aumento de 33% determinado pelo decreto 10.614, assinado em 20 de dezembro de 2012 por integrantes do governo anterior. A atual administração considera abusivo o valor de R$ 2,00 por hora de estacionamento estabelecido pelo documento. Por isso iniciou negociação com a Cello Auto para anular o reajuste, retomando o preço de R$ 1,50.
Sem justificativas plausíveis para o aumento, a atual administração iniciou uma força-tarefa para reduzir a tarifa. O processo ensejou estudos técnicos, financeiros e jurídicos.

A capacidade de tráfego na pista sentido capital da Rodovia dos Imigrantes (SP-160) foi ampliada em 50% entre o km 26,2 e o km 39,7, com a inauguração da 5ª e 6ª faixas de rolamento nesta segunda-feira, 27, pelo governador Geraldo Alckmin. Participaram também da cerimônia o secretário de Logística e Transportes do Estado, Saulo de Castro Abreu Filho, e a diretora geral da Artesp, Karla Bertocco Trindade.
Essa ampliação representa o aumento da capacidade para até mais de 4.000 veículos por hora no trecho. O tempo de viagem entre o Litoral e a Região Metropolitana de São Paulo pode ser reduzido em 15 minutos nos dias de tráfego intenso.
“A obra foi feita em prazo recorde. A obra da 6ª faixa deveria começar somente em 2017, mas conseguimos adiantar para 2013”, destacou o governador. “A ampliação vai melhorar muito a logística da região; já estamos ampliando as faixas do Rodoanel Oeste”, completou.
O investimento total para a construção dos 13,5 quilômetros das 5ª e 6ª faixas no trecho foi de R$ 33,8 milhões. A entrega da 6ª faixa (cujo investimento foi de R$ 13,9 milhões) ocorre cinco anos antes do previsto no cronograma do contrato com a concessionária Ecovias, que executou a construção, sob a fiscalização da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). Pelo contrato, essa obra deveria começar em 2017, com entrega no ano seguinte. Já a conclusão da 5ª faixa (investimento de R$ 19,9 milhões), iniciada em maio do ano passado, ocorre no prazo estabelecido pelo cronograma.
O trecho com novas faixas vai da Interligação Planalto (km 39,7) até o acesso ao Trecho Sul do Rodoanel (km 26,2), área de tráfego intenso na volta dos feriados, pois parte dos veículos da Rodovia Anchieta (SP-150) utiliza a Interligação Planalto para seguir viagem pela Imigrantes. Após o km 26,2, a fluidez é maior, já que muitos motoristas seguem pelo Rodoanel. Atualmente passam pelo trecho ampliado 32,5 mil veículos por dia, em média. A inauguração das novas faixas vai garantir bons níveis de fluidez durante, pelo menos, os próximos dez anos. Outros benefícios, além da redução no tempo de viagem, serão redução nos congestionamentos e maior segurança aos usuários da rodovia.
A ampliação da pista ocorreu principalmente na parte interna da rodovia, com aterramento do canteiro central para adequação do talude, adequações do sistema de drenagem, de dispositivos de segurança e da sinalização. As novas faixas de rolamento têm 3,6 metros de largura. Diferente do restante da obra, na altura do km 32, na Praça de Pedágio Piratininga, o alargamento ocorreu no lado externo, com escavação de talude. Houve ampliação de pontes e viadutos nos kms 28, 33, 35 e 38. Foram criados 300 empregos durante as obras.

A questão da mobilidade urbana entrou, definitivamente, na pauta dos gestores públicos da região. A questão também já chegou às câmaras municipais, onde são apresentadas as mais variadas propostas, que vão desde mudança de mão em ruas e avenidas à execução de mega obras viárias. Inclusive, já falamos de algumas sugestões para melhoria do trânsito e dos investimentos em transporte coletivo de qualidade.
Porém, uma das principais vias da região parece não ter despertado, ainda, o interesse da classe política, mesmo recebendo milhares de veículos diariamente e sendo reconhecida como um dos mais movimentados acessos a, ao menos, três cidades: São Caetano do Sul, Santo André e Mauá. Essa é a Avenida dos Estados, repleta de problemas, mas que pode ser a solução para o gargalo do trânsito no Grande ABC.
É inegável a importância que a Avenida dos Estados tem para a região, seja do ponto de vista comercial, com dezenas de grandes comércios varejistas - incluindo dois shoppings - e outras tantas empresas de pequeno, grande e médio porte, que se espalham ao longo da avenida no trecho que cortas as três cidades do ABC.
Nos cerca de 15 km de extensão que margeiam o Rio Tamaduateí, o que se vê é um verdadeiro descaso das autoridades, com problemas que se arrastam por décadas. Buracos que aumentam a cada dia, remendos malfeitos no asfalto e recapeamentos parciais; lixo e entulho espalhados pela via; erosão, mato alto e trechos em obras retratam o cenário presenciado diariamente por motoristas e usuários de transporte público.
Para complicar ainda mais, a Avenida apresenta constantes alagamentos em período de chuvas; e conta com uma ponte que está sendo reconstruída, com previsão de entrega para agosto.
Vale lembrar, também, que a Avenida dos Estados divide a cidade de Santo André, sendo passagem para o 2º Subdistrito e, nos últimos anos se tornou um importante acesso para os motoristas da região ao Rodoanel.
Por isso, é mais do que urgente que os prefeitos da região e da capital (pelo acesso ao Grande ABC) se unam ao Governo do Estado para a elaboração de um estudo técnico de recuperação da Avenida dos Estados, no trecho entre São Paulo e Mauá, com obras e melhorias da sua malha viária.
É preciso um novo olhar para a Avenida dos Estados, reconhecendo a sua importância e o quanto ela pode servir para desafogar o trânsito em toda a região. Transformar a Avenida dos Estados em uma via de acesso rápido, seguro e sem tantos transtornos é o grande desafio dos nossos gestores para os próximos três anos e meio. Quanto antes as discussões começarem, melhor para todos.

O Bilhete Único entrará em operação em Santo André a partir do dia 10 de junho. O esforço inicial é priorizar o cadastro e adesão ao novo sistema de 50% dos usuários que não possuem qualquer tipo de cartão e fazem o pagamento das passagens em dinheiro.

A obra de rebaixamento da Avenida Lions, em São Bernardo do Campo, completou um ano neste mês com resultados positivos quanto à melhoria da fluidez do tráfego, beneficiando milhares de motoristas que transitam diariamente pela via com sentido a São Paulo, Baixada Santista, Diadema e Santo André.