Jornal da Região

Leci Baptista da Cunha, 71 anos, aguardou durante 10 meses pela cirurgia de catarata em uma das unidades de saúde pública estaduais. A espera terminou dia 14 de maio, quando a aposentada operou um dos olhos na Clínica de Especialidades Médicas da Prefeitura de São Bernardo do Campo, na região Central. O outro olho, também comprometido pela doença, foi operado mais recentemente, dia 11 de junho.
“Antes da cirurgia, eu não podia sair no sol que ficava com dor de cabeça. A cirurgia foi rapidíssima, durou uns dez minutos. E já sai enxergando”, afirmou a moradora do Parque São Diogo.
Desde março, foram realizadas cerca de 700 operações na Clínica de Especialidades Médicas, que beneficiaram mais de 500 pessoas. Esse esforço concentrado da Prefeitura tem o objetivo de praticamente zerar até o final do mês a demanda pelo serviço. No total, serão realizadas cerca de 1,2 mil operações.
Antes do mutirão, os pacientes podiam esperar até dois anos pela cirurgia em uma das unidades estaduais. Agora, depois de o morador ser avaliado e fazer diversos exames, como de biometria e mapeamento de retina, a operação pode ser realizada até no dia seguinte.
Serviço - Alguns dos sintomas da catarata são sensibilidade à claridade excessiva; visão difusa, turva, opaca ou nebulosa; dificuldade de enxergar à noite ou com pouca luz; visão dupla; e visão de halos ao redor das luzes.
Moradores que apresentarem alguns desses sintomas devem procurar a UBS mais próxima de sua casa para uma avaliação médica e posterior encaminhamento para um oftalmologista. Os endereços das UBSs estão disponíveis no site www.saobernardo.sp.gov.br.

O Procon de São Caetano do Sul, em seu trabalho na defesa dos consumidores da cidade, realizou desde março deste ano um número recorde de fiscalizações nos comércios sancaetanenses. No período foram visitados cerca de 120 estabelecimentos – os fiscais do órgão verificam o cumprimento de uma série de itens do Código de Defesa do Consumidor e das leis 8.078/1990 e 12.291/2010.

Alunos de 4 e 5 anos da Escola Municipal de Ensino Infantil (EMEI) Pedro José Lorenzini, no Bairro Santa Paula, em São Caetano do Sul, assistiram na a duas atividades desempenhadas pela Guarda Civil Municipal (GCM). Contribuindo para a formação das crianças, a corporação exibiu o seu tradicional Teatro de Fantoches e desenvolveu uma apresentação especial do Canil.

A Secretaria da Educação do Estado São Paulo, por meio da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), oferece na região do ABC 419 vagas no projeto Bolsa Universidade para estudantes interessados em atuar como educadores do programa Escola da Família em escolas públicas de todo o Estado.

O Mercado de Peixes Ornamentais da Craisa (Avenida dos Estados, nº 2195, Bairro Santa Terezinha) quadriplicou a quantidade de frequentadores desde que abriu as portas, em dezembro de 2009, quando recebia cerca de 550 pessoas por mês. Hoje, entretanto, são dois mil visitantes mensalmente. Mas este crescimento tem explicação, além de ser único do segmento no Grande ABC – terceiro do Estado de São Paulo –, o mercado oferece produtos com custo até 50% menor do que a concorrência, um atrativo que tornou o espaço o principal fornecedor dos piscicultores (profissionais que trabalham na criação de peixes), além de uma ótima opção para quem gosta de animais exóticos.
Para o dono de petshop, Edson Aparecido Delvechio, 54 anos, adquirir itens no mercado é garantia de lucro. “Comprando aqui e revendendo na minha loja, consigo obter, no mínimo, 50% a mais”, contou, ao revelar que visita semanalmente o espaço e tem por hábito comprar aquários e peixes – a um custo médio de R$ 30 por 10 unidades variadas.
O percentual revelado por Delvechio também pode ser comprovado no segmento de aves. Isso porque, enquanto um exemplar de calopsita custa R$ 90 em um estabelecimento convencional, no mercado está disponível a R$ 45. Outras vantagens do espaço são quanto aos preços do periquito (R$ 10), mandarim (R$ 10), manão (R$ 4) e diamante gould (R$ 35). Se as mesmas espécies fossem adquiridas em um petshop, os valores seriam de R$ 19,90 para os dois primeiros, R$ 10, para o manão e R$ 69,90 para a última espécie.
Atualmente, o local dispõe de 32 expositores distribuídos em uma área de 900m², nos quais são comercializados diversos tipos de peixes de água doce e salgada, roedores, cães, aves, acessórios, plantas para aquário, rações de diversos tipos, entre outros itens. Além desta variedade, o local, que funciona às quartas-feiras, das 14h às 18h, ainda tem estacionamento com 850 vagas.

Os pais que têm seus filhos com idade inferior a 5 anos devem levar as crianças para que sejam imunizadas contra a Poliomielite, como parte da 1ª etapa da 34ª Campanha Nacional de Vacinação contra a doença, ação da qual São Caetano do Sul participará. A popular gotinha, defesa contra a doença, será aplicada nos pequenos sancaetanenses neste sábado (8/6), das 8 às 17 horas, em vários pontos da cidade – lista completa dos locais abaixo.
O médico Luciano Xavier, diretor da Atenção Básica de Saúde sancaetanense, informa que, no município, a meta é aplicar 6.786 doses. “É fundamental que as pessoas levem as crianças para serem imunizadas, porque essa doença pode deixar sequelas muito graves e causar até a morte”, alerta o profissional.
Poliomielite - Doença infectocontagiosa viral aguda, a Poliomielite ou Paralisia Infantil é caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito – o déficit motor instala-se subitamente. A enfermidade acomete membros inferiores, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido. A Poliomielite está erradicada no Brasil desde o início dos anos 90.

Locais de Vacinação
Unidade Básica de Saúde Amélia Richard Locatelli (Alameda João Galego, 01, Bairro Santa Maria);
Unidade Básica de Saúde Angelo Antenor Zambom (Rua João Molinari, 160, Bairro Boa Vista);
Unidade Básica de Saúde Caterina Dall’Anese (Rua Prates, 430, Bairro Olímpico);
Unidade Básica de Saúde Darcy Sarmanho Vargas (Rua General Estilac Leal, 58, Bairro Mauá);
Unidade Básica de Saúde Dolores Massei (Rua Senador Fláquer, 134, Bairro São José);
Unidade Básica de Saúde Maria Corbeta Segato (Avenida Prosperidade, 671, Bairro Prosperidade);
Unidade Básica de Saúde Moacir Gallina (Rua Casemiro de Abreu, 560, Bairro Cerâmica);
Unidade Básica de Saúde Nair Spina Benedicts (Rua Oswaldo Cruz, 1.153, Bairro Oswaldo Cruz);
Unidade Básica de Saúde Ivanhoé Espósito (Rua Flórida, 295, Bairro Barcelona);
Centro Policlínico Gentil Rstom (Avenida Tietê, 301, Bairro Nova Gerty);
Centro de Saúde Doutor Manoel Augusto Pirajá da Silva (Rua Senador Roberto Simonsen, 282, Bairro Centro);
Centro de Especialidades Médicas (Rua Heloisa Pamplona, 269, Bairro Fundação);
Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente Amabili Moretto Furlan (Rua Goitacazes, 301, Centro).

 

Uma reunião extraordinária no Consórcio Intermunicipal Grande ABC definiu a redução de tarifas em cinco dos sete municípios da região, que passarão de R$ 3,30 para R$ 3,20 a partir do dia 15 de junho. A tarifa vai baixar nos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Mauá e Ribeirão Pires. As cidades de Diadema, que já praticava o valor de R$ 3,20, e Rio Grande da Serra, onde a tarifa é de R$ 3,00, irão manter os preços atuais. A decisão dos prefeitos é reflexo da Medida Provisória 617/13, publicada no Diário Oficial da União em 31 de maio, que reduziu a zero as alíquotas de PIS/COFINS para as empresas de transporte coletivo.
“A decisão foi comunicada aos empresários e é evidente que não há espaço para discussão. Trata-se de uma resposta ao esforço do governo brasileiro pela redução das tarifas, colaborando com este momento da economia brasileira. Esse benefício de isenção de imposto assinado pela Presidenta Dilma (Rousseff) tem que atingir o consumidor”, anunciou o presidente do Consórcio e prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho.
Decretos dos prefeitos oficializando a decisão serão publicados em cada município nos próximos dias e as empresas de transporte deverão cumprir a determinação a partir do dia 15, tirando do preço o imposto que foi zerado. Os prefeitos iniciaram, também, a discussão sobre a possibilidade de o reajuste passar a ser conjunto em todos os municípios, a partir de 2015. “Cada prefeito vai analisar a situação, mas provavelmente deixaria de haver reajuste de tarifa em Diadema no ano que vem, voltando a acontecer conjuntamente com as demais cidades em janeiro de 2015”, adiantou Marinho.

A Prefeitura de São Caetano do Sul abriu inscrições para 300 vagas que estão disponíveis na Frente Municipal de Trabalho. Para se inscrever, os interessados devem se dirigir à sede da Secretaria Municipal de Assistência e Inclusão Social, que fica na Rua Antonio Bento, 180, Bairro Santa Paula, das 8 às 16h30, até o dia 11 de junho. Os participantes receberão bolsa-auxílio, que é equivalente a dois terços do salário mínimo nacional vigente, e uma Cesta de Alimentos, desde que a família ou o domicílio do participante ainda não receba tal benefício.

A tarifa do sistema de estacionamento rotativo pago de São Caetano do Sul, popularmente conhecido como Zona Azul, será reduzida a partir deste sábado (1/6). A data foi estipulada no decreto 10.661, assinado pelo prefeito Paulo Pinheiro no dia 10 de maio. O documento diminui de R$ 2,00 para R$ 1,50 o valor do talão válido por 1 hora, e de R$ 4,00 para R$ 3,00 a quantia paga por duas horas de estacionamento nas vias públicas – são 2.896 vagas demarcadas em regiões comerciais ou mistas.
O espaço de tempo entre a assinatura e a vigência do decreto foi necessário para que a Cello Auto, empresa que opera o sistema, se adaptasse às novas regras. O período máximo de estacionamento permanecerá inalterado em 2 horas, assim como os horários em que é obrigatório o pagamento da tarifa: de segunda à sexta-feira, das 8 às 18 horas, e aos sábados, das 8 às 13 horas.
Em março, a Zona Azul teve aumento de 33% determinado pelo decreto 10.614, assinado em 20 de dezembro de 2012 por integrantes do governo anterior. A atual administração considera abusivo o valor de R$ 2,00 por hora de estacionamento estabelecido pelo documento. Por isso iniciou negociação com a Cello Auto para anular o reajuste, retomando o preço de R$ 1,50.
Sem justificativas plausíveis para o aumento, a atual administração iniciou uma força-tarefa para reduzir a tarifa. O processo ensejou estudos técnicos, financeiros e jurídicos.