Jornal da Região

ABC Político Edição 646

PEN realiza quinta reunião do ano
A quinta reunião deste ano do Partido Ecológico Nacional (PEN) de São Caetano do Sul, comandado pelo presidente municipal, Gilberto Costa, já está marcada para o próximo dia 31 de maio, quarta-feira, com a participação dos membros da Executiva Municipal. De acordo com a convocação, será deliberado exclusivamente o posicionamento do partido em relação ao Governo Municipal, desta vez com a presença do representante do PEN na Câmara, vereador Caio Funaki.

G-9
Almoço em que estiveram presentes o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), e o vice-prefeito, Beto Vidoski (PSDB), objetivou promover um debate sobre a reforma administrativa que a Prefeitura promete enviar em breve para apreciação dos vereadores. Detalhe curioso é que apenas os vereadores do grupo governista Tite Campanella (PPS), Marcel Munhoz (PPS), Edson Parra (PSB), Ricardo Andrejuk (PSDB), Marcos Fontes (PSDB), Daniel Córdoba (PSDB), Olyntho Voltarelli (PSDB), Eduardo Vidoski (PSDB) e Caio Funaki (PEN) e mais o vereador Seraphim participaram do encontro. Os demais parlamentares sentiram-se desrespeitados pela exclusão da reunião.

Digital
O vereador Jander Lira (PP) lançou nesta semana aplicativo de smartphones e abriu canal para que a população envie sugestões, críticas e mensagens ao seu gabinete. A iniciativa é inédita e visa ampliar o canal de contato do vereador com o eleitor.

Trio
No jantar que comemorou os 64 anos da Apami, no Restaurante Sete Mares, sentaram-se à mesma mesa Ághata Palacio (esposa de Fabio Palacio), Marcela Costa (esposa de Gilberto Costa) e Camila Portela (esposa do vereador Cesar Oliva). Se nas eleições passadas caminharam em raias opostas, o futuro pode uni-las em prol de um mesmo projeto político.

Auricchistas preocupados
Caminhou na Justiça Eleitoral o processo que pode cassar o atual prefeito José Auricchio Júnior (PSDB). A ação é movida pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e versa sobre a doação que poderia ser ilegal recebida pelo então candidato a prefeito nas eleições de 2016 - a doadora não teria condições sociais e financeiras de realizar a doação à campanha do tucano. Caso a chapa seja condenada, caem Auricchio e Vidoski, atual vice, e uma nova disputa eleitoral pode ocorrer em São Caetano do Sul.

Possíveis concorrentes
Este foi o prinicipal assunto da semana nos bastidores políticos de São Caetano. Se Auricchio e Vidoski forem condenados, as projeções podem levar à disputa Fabio Palacio (PR) e Pio Mielo (PMDB) que, inclusive, assumiria a Prefeitura interinamente até que a Justiça Eleitoral determine novas eleições. Correm por fora o ex-prefeito Paulo Pinheiro (PMDB) e o ex-vereador Gilberto Costa (PEN). Qualquer semelhança com a situação que ocorre em Brasilia, com a possível saída de Michel Temer (PMDB) da presidência, não é mera coincidência. Quem esperou águas calmas na política de São Caetano, se enganou. O caldeirão pode começar a ferver.

0
0
0
s2smodern